Cris Pastore

Cris Pastore

Professora

Rio Grande, RS

Arte educadora graduada em Artes Visuais Licenciatura pela Universidade Federal de Rio Grande/RS. Possui especialização - PÓS RS: RIO GRANDE DO SUL: SOCIEDADE, POLÍTICA E CULTURA-PÓS-GRADUAÇÃO/FURG. Mestre em História pelo PPGH Mestrado Profissional em História da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Graduação em História FURG. Exerceu a atividade de tutoria na graduação em Historia EAD FURG, no Curso de Pedagogia/ FURG na disciplina Fundamentos da Educação I e Arte, linguagem e corporeidade na educação. Tutora no curso de aperfeiçoamento em Educação Ambiental. UAB/SEAD/FURG (FNDE) atuando na Formação de professores. Orientou trabalhos na especialização em Educação Ambiental. Possui experiência na área de Artes, com ênfase em Pesquisa no ensino de Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: Patrimônio, Cultura, História e Educação. Participou como bolsista do programa PIBID, e bolsista do projeto Brinquedoteca vai a escola com oficinas lúdicas. Realiza projetos educativos com a pratica docente e artística através de aulas em edição de videos na formação de professores EAD e presencial, oficinas de escultura, pintura e outras técnicas. Professora na rede privada nas disciplina ARTE ( fundamental e médio) e História (fundamental e médio). Apresentou comunicação dos projetos desenvolvidos e possui artigos publicados em anais de vários eventos educacionais. Possui produção artística na criação visual (manipulação, fotos, desenho gráfico, escultura), pintura (óleo sobre tela) e na literatura (poesia). Possui pesquisa na Historia Social, Cultural e Patrimonial, com abordagens de temas relacionados com a morte e os novos desafios metodológicos para o ensino de historia.Atua desde 2013 como professora de Artes e História na rede municipal e privada de ensino na cidade do Rio Grande RS.

Continuar lendo

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado profissional em História

2014 - 2016

Universidade Federal do Rio Grande
Título: Procedimento Invertido: Ensino de História a partir das inquietações dos jovens estudantes sobre a morte na contemporaneidade., Ano de Obtenção: 2016
Orientador: Artur Henrique Franco Barcelos
Grande área: Ciências Humanas

Especialização em Pos Graduação RS- Rio Grande do Sul: Sociedade, po

2013 - 2014

Universidade Federal do Rio Grande
Título: SEMPRE EM NOSSA MEMÓRIA. Estudo dos rituais fúnebres: os velórios residenciais em Rio Grande/RS (1940/1970)
Orientador: Adriana Kivanski de Senna

Graduação em História

2015 - 2019

Universidade Federal do Rio Grande
Título: O PALÁCIO DOS VIEIRA BRAGA DO SÉCULO XIX AO HOTEL PARIS DO SECULO XXI
Orientador: Luiz Henrique Torres

Graduação em Artes Visuais

2009 - 2013

Universidade Federal do Rio Grande
Título: A cidade dos mortos e a cidade dos vivos: diálogos possíveis entre a escultura funerária e o cotidiano escolar
Orientador: Marlen Batista De Martino
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Curso técnico/profissionalizante

1978 - 1981

Colegio Santa Joana D"Arc/Bom JESUS
Bolsista do(a): Industria de Petroleo Ipiranga, IPY, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

Viva com Arte. (Carga horária: 15h). , Prefeitura Municipal de Rio Grande, PMRG, Brasil.

2018 - 2018

mini curso Oficina de História oral. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2017 - 2017

Extensão universitária em Mini curso Patrimônio. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2015 - 2016

Curso de aperfeiçoamento em Educação Ambiental. (Carga horária: 180h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2015 - 2015

Extensão universitária em Mini curso seminário internacional. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2015 - 2015

Formação de Tutores EAD. (Carga horária: 180h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2013 - 2013

VII Seminário Internacional em Memoria e Patrimoni. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.

2013 - 2013

Informática Nível Intermediário. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2011 - 2011

Extensão universitária em Formaçao de Patrimonio Comunitario. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2011 - 2011

Sustentabilidade, um valor para a nova geraçao. (Carga horária: 5h). , Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.

2011 - 2011

PQA. (Carga horária: 746h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2011 - 2011

Monitoria. (Carga horária: 430h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2010 - 2011

Extensão universitária em Programa Institucional de Bolsa de Iniciaçao à Doc. (Carga horária: 960h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2010 - 2011

Extensão universitária em Programa Institucional de Bolsa de Iniciaçao à Doc. (Carga horária: 960h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2010 - 2010

Extensão universitária em GERIBANDA Movimento de Arte e Cutura. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2010 - 2010

Extensão universitária em GERIBANDA Movimento de Arte e Cutura. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.

2010 - 2010

Historia da Arte-da Arte Contempo. a Arte Moderna. (Carga horária: 18h). , Instituto Itaú Cultural, ITAÚ CUTURAL, Brasil.

2010 - 2010

Oficina Formação audiovisual. (Carga horária: 30h). , Art estação ponto de cultura, ARTESTAÇÃO, Brasil.

2009 - 2009

Extensão universitária em Semana Acadêmica. (Carga horária: 58h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Educação.

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História.

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: ARTE EDUCAÇAO.

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Linguistica, Letras e Artes.

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Artes Plásticas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

Alunos dos nonos anos ; PASTORE, M. C. . Mulheres Africanas. 2016. (Exposição).

PASTORE, M. C. ; OLIVEIRA, Rosete P. . Exposição RESIDUO. 2011. (Exposição).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

6 Simpósio Eletrônico Internacional de Ensino de História. 2020. (Simpósio).

10 Simpósio de Arte Educação: A fruição da Arte: um desafio".Roteiro Patrimônio Edificado local: Eu conheço, Eu pertenço!. 2019. (Simpósio).

II coloquio do PPGH: Ensino de história diálogos transversais.O ensino de História no cemitério: considerações sobre a pratica docente e aprendizagem significativa. 2018. (Outra).

III Congresso Latino-Americano de estudos humanísticos multidisciplinares. Desenvolvimento de etapas educativas: o cemitério como condutor de uma aprendizagem significativa para o ensino de História. 2018. (Congresso).

III Seminário Cultura e Identidades. 2018. (Seminário).

IV Encontro Humanístico Multidisciplinar ( IV EHM).Desenvolvimento de etapas educativas: o cemitério como condutor de uma aprendizagem significativa para o ensino de História. 2018. (Encontro).

IV Seminário Internacional para pensar a pesquisa histórica: Estado Novo ovo ;;;;;. 2017. (Seminário).

Seminário Internacional 280 anos de fundação da cidade do Rio Grande. 2017. (Seminário).

2 Simpósio Eletrônico de Ensino da História UNESPAR.CONSTRUIR O OLHAR CARTOGRÁFICO EM SALA DE AULA: NOVAS CONCEPÇÔES AO MAPA NO ENSINO DE HISTÓRIA. 2016. (Simpósio).

I Seminário Internacional Literatura, Imginário e Cultura. 2016. (Seminário).

I Seminário Internacional Vozes Femininas e Escrita de Si. 2016. (Seminário).

I coloquio do Mestrado Profissional em História.Plano de aula tradicional ou invertido? Prospecção para o ensino de História.. 2015. (Outra).

II Seminário Internacional para Pensar a Pesquisa Histórica. 2015. (Seminário).

I Simpósio Eletrônico Internacional de Ensino de História.Cemitério: um lugar (in)explorado pelo Ensino de História. 2015. (Simpósio).

XXVIII Simpósio Nacional de História.A morte como tema interdisciplinar de aprendizagem histórica em espaço não formal. 2015. (Simpósio).

II Seminário de História e Patrimônio: diálogos e perspectivas.A aprendizagem em espaço não formal: Competencia interdisciplinar do cemitério. 2014. (Seminário).

XI Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância ? ESUD. A Articulação das Oficinas de Edição de Vídeo como. Prospecção Tecnológica na Formação de Professores.. 2014. (Congresso).

XV Encontro em Ações em EaD. 2014. (Encontro).

xx jornada de ensino de História e Educação. 20 anos de pesquisa em Ensino de História.A CARTOGRAFIA URBANA NA PERSPECTIVA DE REGISTRO JUVENIL DE PERTENCIMENTO,. 2014. (Outra).

I Coloquio de Ensino e Pesquisa em Memoria e Patrimonio. 2013. (Oficina).

II Seminário Diálogos em Educação a Distância. 2013. (Seminário).

SEMINÁRIO DE ARTE EDUCAÇÃO Memórias e Perspectivas Contemporâneas.CEMITÉRIO: UM LUGAR (IN) EXPLORADO PELO ENSINO DE ARTE. 2013. (Seminário).

VII Seminário Internacional em Memória e Patrimônio 7 SIMP io,. 2013. (Seminário).

11ª MPU."A produção gráfica como ferramenta de avaliação da aprendizagem ". 2012. (Outra).

30 Bienal Sao Paulo. 2012. (Outra).

6° Encontro de Pesquisa em Arte.Teatro de fantoches: do imaginário infantil a uma prática artística, educativa e inclusiva. 2011. (Encontro).

I Forum sobre a Pesquisa, o Desenvolvimento e a Inovação Tecnológica. 2011. (Encontro).

II Encontro Interinstitucional do PIBID III Encontro Institucional PIBID - UFRGS.Educação Patrimonial através das oficinas de arte. 2011. (Encontro).

MPU.O DESAFIO DA PRATICA DOCENTE EM ARTES NA EJA. 2011. (Encontro).

XI Congresso IBEROAMERICANO de extension Universitaria. Teatro de Fantoches: do imaginário infantil a uma pratica artistica, educativa e inclusiva. 2011. (Congresso).

X Mostra da Produção Universitaria.Alem dos limites pictóricos na vivencia em sala de aula. 2011. (Outra).

18 Seminario de Educação Educação Formação de Professores.Inserindo Maurice Prowizur no cotidiano escolar. 2010. (Seminário).

22 Seminário de Arte e Educação.Identidade Criativa. 2010. (Seminário).

37ª Feira do Livro.Teatro de Fantoches. 2010. (Oficina).

MPU.Identidade Criativa. 2010. (Encontro).

Sua poesia vai a feira."Estilhaços do meu eu". 2010. (Encontro).

X Encontro sobre Investigação na Escola.Identidade Criativa. 2010. (Encontro).

7ª Bienal do Mercosul. 2009. (Encontro).

MPU. 2009. (Simpósio).

Semana Academica das Artes.Pintura óleo sobre tela. 2009. (Oficina).

11ª Feira do Mar."Os amigos" óleo sobre tela. 2007. (Encontro).

Exposição Escola Belas Artes.Pintura óleo sobre tela "A cabana". 2006. (Encontro).

Exposição Sobrado dos azulejos.Pintura óleo sobre tela "Multifacetado". 2006. (Encontro).

5ª Bienal do Mercosul. 2004. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

PASTORE, M. C.. 1 SNIE Seminario Nacional de Interdisciplinariedade na Escola. 2012. Universidade Federal do Rio Grande.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Adriana Fraga da Silva

JARDIM, R. B.; TAVARES, M. D.;SILVA, A. F.. Método Invertido: ensino de História a partir das inquietações dos jovens estudantes sobre a morte contemporânea.. 2016. Dissertação (Mestrado em PPGHistória - Mestrado Profissional) - Universidade Federal do Rio Grande.

Adriana Fraga da Silva

SILVA, A. F.; BARCELOS, Artur. H. F.; TAVARES, M. D.; JARDIM, R. B.. Método Invertido: ensino de História a partir das inquietações dos jovens estudantes sobre a morte contemporânea.. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em PPGHistória - Mestrado Profissional) - Universidade Federal do Rio Grande.

Artur Henrique Franco Barcelos

SILVA, A. F.; TAVARES, M. D.; JARDIM, R. B.;BARCELOS, A. H. F.. Método invertido: ensino de história a partir das inquietações dos jovens estudantes sobre a morte contemporânea. 2015.

Roseli Aparecida da Silva Nery

Martino, Marlen;NERY, R. A. S.; FLORES, J. A. V.. A cidades dos mortos e a cidades dos vivos: diálogos possiveis entre a escultura funerária e o cotidiano escolar. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Artes Visuais - Licenciatura e Bacharelado) - Universidade Federal do Rio Grande.

Mauro Dillmann Tavares

DILLMANN, Mauro; JARDIM, Rejane B.; FRAGA, Adriana; BARCELOS, Artur H. (orientador). O Ensino de História a partir das inquietações de jovens estudantes sobre a morte na aula-visita ao cemitério. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em História) - Universidade Federal do Rio Grande.

Mauro Dillmann Tavares

DILLMANN, Mauro; JARDIM, Rejane B.; FRAGA, Adriana; BARCELOS, Artur H. (orientador). Método Invertido: ensino de História a partir das inquietações dos jovens estudantes sobre a morte na contemporaneidade. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado Profissional em História) - Universidade Federal do Rio Grande.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Artur Henrique Franco Barcelos

Competências da arte funerária: tema gerador de diálogo interdisciplinar no ensino de história; Início: 2014; Dissertação (Mestrado profissional em Programa de Pós-Graduação em História PPGH) - Universidade Federal do Rio Grande; (Orientador);

Marlen de Martino

?A cidade dos mortos e a cidade dos vivos?: Diálogos possíveis entre a escultura funerária e o cotidiano escolar; ; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Artes Visuais) - Furg; Orientador: Marlen De Martino;

Luiz Henrique Torres

O Palácio dos Vieira Braga do século XIX ao Hotel Paris do século XXI; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em História Licenciatura) - Universidade Federal do Rio Grande; Orientador: Luiz Henrique Torres;

Luiz Henrique Torres

Estágio Supervisionado em Ensino Fundamental; 2018; Orientação de outra natureza; (História Licenciatura) - Universidade Federal do Rio Grande; Orientador: Luiz Henrique Torres;

Luiz Henrique Torres

Estágio Supervisionado em Ensino Médio; 2018; Orientação de outra natureza; (História Licenciatura) - Universidade Federal do Rio Grande; Orientador: Luiz Henrique Torres;

Roseli Aparecida da Silva Nery

Museus e escultura no ensino de arte - Estágio Docente Curricular; 2012; Orientação de outra natureza; (Artes Visuais - Licenciatura e Bacharelado) - Universidade Federal do Rio Grande; Orientador: Roseli Aparecida da Silva Nery;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • PASTORE, M. C. . Desenvolvimento de etapas educativas: o cemitério como condutor de uma aprendizagem significativa para o ensino de História. RELACult ? Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e , v. 05, p. 1173, 2019.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

PASTORE, M. C. ; Mello, Elaine . Uso de documentos em sala de aula:método e prática. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

PASTORE, M. C. . Aula-visita: estrutura da metodologia de ensino nos espaços não formais. 2015. .

PASTORE, M. C. ; OLIVEIRA, Rosete P. . Exposiçao coletiva: Há Primeira Vez. 2012. Outra.

OLIVEIRA, Rosete P. ; PASTORE, M. C. . Exposição RESIDUO. 2011. Outra.

PASTORE, M. C. ; Bastos, Roberta ; OLIVEIRA, Rosete P. ; ROCHA, Stefani R. P.da . Singular Plural. 2011. Diversas.

PASTORE, M. C. . o individuo. 2011. Escultura.

PASTORE, M. C. . Invadir, destruir, transformar. 2010. Desenho.

PASTORE, M. C. . Descobertas. 2009. Vídeo.

PASTORE, M. C. ; OLIVEIRA, Rosete P. . Arte com alimentos. 2009. Vídeo.

PASTORE, M. C. . Giotto. 2009. Vídeo.

PASTORE, M. C. . Nas aguas de Rio Grande. 2011.

PASTORE, M. C. . Marionete oleo sobre tela. 2011.

PASTORE, M. C. . Individuo. 2011 (arte plastica).

PASTORE, M. C. . "Estilhaços do meu eu". 2010.

PASTORE, M. C. ; PAULITSCH ; Tavres, Carla . Educação Patrimonial através das oficinas de arte. 2011 (II Encontro Interinstitucional do PIBID) .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - 2018

    O PALÁCIO DOS VIEIRA BRAGA DO SÉCULO XIX AO HOTEL PARIS DO SECULO XXI, Descrição: A presente pesquisa desenvolve-se a partir de um estudo da história local e centralizado em uma edificação, com o intuito de refletir a história do prédio estudado correlacionado com a história da cidade. Busca refletir sobre as transformações urbanas, e enfatiza a preservação do prédio denominado HOTEL PARIS, localizada à Rua Marechal Floriano, 112, Rio Grande ? RS. Nesta conjuntura, a investigação contempla fatos demarcados pelo período de 1825 até os dias de hoje, os diversos proprietários que investiram no hotel, bem como a iconografia da época. Apresenta destaque para João Francisco Vieira Braga, o Conde de Piratini como primeiro proprietário do magnífico palacete e evidência aspectos sociais e políticos deste personagem histórico e do período em questão. Propõe reflexões sobre as transformações que revelam múltiplos aspectos sócio-culturais da cidade, do fator humano e da dinâmica espacial alterada em função do desenvolvimento. A escolha do Hotel Paris ocorre pela importância do prédio no contexto da cidade, uma edificação com quase 200 anos de existência em perfeitas condições arquitetônicas, o que possibilita debates sobre a preservação do imóvel e suas características arquitetônicas. Para realizar a investigação, busca-se uma revisão bibliográfica e realiza-se pesquisa em periódicos disponibilizados por bibliotecas virtuais on line, jornais locais na Biblioteca Rio-grandense sobre o Hotel Paris e apreciação do contexto da época, entrecruzando os eixos temáticos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Maria Cristina Pastore - Coordenador / Luiz Henrique Torres - Integrante.

  • 2014 - 2016

    PROCEDIMENTO INVERTIDO: O ENSINO DE HISTÓRIA A PARTIR DAS INQUIETAÇÕES DE JOVENS ESTUDANTES SOBRE MORTE NA AULA-VISITA AO CEMITÉRIO, Descrição: A presente dissertação busca refletir sobre duas ações educativas realizadas no espaço cemitério a partir de um conteúdo curricular desenvolvido em sala de aula na disciplina de História. Propõe desenvolver métodos que contemplem a conexão ensino e aprendizagem no Ensino de História e investiga de modo particular a vida em sociedade a partir da morte e do estudo do meio, cemitério, como propício para aprendizagem. A morte, fato inevitável para o ser humano, se apresenta como um dos eixos condutores neste texto que se converte na presente dissertação de Mestrado em Ensino de História PPGH/FURG que está amparada pelos estudos de ARIÈS (2003), pois pensar a morte é refletir sobre a vida em sociedade. Concomitantemente, o meio cemitério e as discussões sobre o Ensino de História (BITTENCURT, 2011) (PINSKY, 2009) conduzem à compreensão de dimensões que transpassam os limites da disciplina, provocando a interligação de outras áreas do conhecimento. Nessas bases desenvolveu-se uma observação de teor qualitativo, exploratório e empírico iniciando da concepção do meio como construtor de conhecimento e a interação (VYGOTSKY, 2006) do jovem com o ambiente. Assim, a investigação pretende refletir sobre as possibilidades do estudante como protagonista (MICELI, 2009) dos processos ensino e aprendizagem. A partir de determinado conteúdo escolar, são organizados procedimentos em que o aluno participa de diversas atividades, culminando na aula-visita ao cemitério. No cemitério as inquietações do jovem estudante em relação ao meio são transformadas em perguntas que por sua vez, compõem um conjunto de procedimentos denominado Método Invertido. Pensar as abordagens para o Ensino de História de forma a provocar o interesse vem ao encontro com as expectativas da prática pedagógicas para a formação de um aluno partícipe do processo referente à aprendizagem significativa (ROGERS, 2010). O Método Invertido almeja proporcionar um protocolo que contemple os interesses dos alunos e tem como base uma nova forma de pensar o ponto de partida para a elaboração da aula. Nessa perspectiva, será possível o ponto de partida para o ensino de História iniciar no que os alunos querem saber? A partir do local escolhido e da temática, o desafio foi criar possíveis metodologias que provoquem reflexões e sejam diretamente ligadas ao processo formativo do aluno como cidadão consciente de seu papel na sociedade e no mundo. Objetiva-se com e através dessas atividades algumas possibilidades, como a dos adolescentes se apropriarem do conhecimento mediado e da relação que a experiência pedagógica pode auxiliar na formação do indivíduo crítico, perante a uma sociedade alheia às questões sobre a vida e a morte. A experiência pedagógica aconteceu em duas escolas do município de Rio Grande/RS, as atividades foram conduzidas com turmas diferenciadas de oitavo ano do ensino Fundamental e primeiro ano do ensino Médio. Em um primeiro momento foram aplicadas entrevistas semi estruturadas exploratórias, posteriormente, as inserções em sala de aula, os sujeitos da pesquisa foram submetidos a um conjunto de metodologias. Desta forma o plano de aula não acontece nos padrões convencionais conhecidos, mas parte das perguntas dos estudantes. A partir dessa concepção para o aproveitamento da atividade, em um breve estudo, as técnicas de Análise de Conteúdo (BARDIN, 2011) foram aplicadas sobre os relatos e perguntas dos adolescentes na tentativa de compreender os múltiplos fenômenos decorrentes das ações desenvolvidas e a sua aplicabilidade.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Maria Cristina Pastore - Coordenador / Artur Henrique Franco Barcelos - Integrante.

  • 2013 - 2014

    ?SEMPRE EM NOSSA MEMÓRIA? Estudo dos rituais fúnebres: os velórios residenciais em Rio Grande/RS (1940/1970), Descrição: A presente pesquisa busca refletir sobre as memorias dos idosos que presenciaram as práticas funerárias, especificamente os velórios residenciais realizados na cidade do Rio Grande/RS nos anos de 1940/1970. O espaço cemitério também é alvo de especulação e aparece como lugar de memoria e compartilhamento de histórias, registros individuais dos entrevistados gerando conhecimento ao coletivo. O cemitério, bem como os procedimentos mortuários que ocorrem dentro desse espaço, possui uma configuração de pertencer ao imaginário, porém é um espaço social e cultural e pertencente às memórias daqueles que entendem o meio como influencia na constituição sociocultural de uma sociedade. Por tanto repleto de emoção, tabus, mitos, história de cada personagem que ali habita ou daqueles que percebem o local como produtor de fonte. No intuito de registrar e produzir conhecimento sobre o tema emprega a historia oral como dispositivo cientifico na produção de fonte do período estudado. As entrevistas temáticas realizadas com os adultos, que quando criança presenciaram os rituais impetrados para as despedidas dos entes queridos, possibilitaram uma analise da dimensão desse momento social e cultural na cidade. Para tanto as entrevistas semiestruturadas despertaram a memória do idoso, acionando o gatilho detonador das lembranças e provocando os apontamentos da infância. Pensar as possibilidades de lidar com os aspectos de morrer, na aceitação da finitude humana pode contribuir para lidar com a morte e seus arcanos diluídos em emoções dicotômicas entre a vida e a morte, permite cogitações atemporais. As reflexões aqui desenvolvidas encontram referencias na Historia Social, Historia Oral, memoria e narrativas. O eixo temático procura na memoria e na fonte oral subsídios para fornecer registros da vivencia na pratica funerária, procurando identificar os sentimentos e sensações pertinentes a participação no evento do velório residencial. Como essas lembranças percorreram a vida cotidiana? Influenciaram ou não a existência de uma compreensão apropriada e emoldurada da finitude da vida? Por que os velórios eram realizados em residências? Como aconteciam? Ainda hoje essa pratica é permitida? São questões que permeiam o estudo. A história oral foi o ponto de partida dessa pesquisa, nela habita as reflexões dos atores, sujeitos históricos que contribuíram para revelar uma historia oculta nas muitas micros-histórias que podemos investigar. A voz do idoso conta uma história invisível e desconhecida, poderia se perder devido às poucas informações orais e escritas e se tornarem mito. Diante das análises dos depoimentos, recuperar essas histórias dos velórios residenciais está propenso a uma reflexão do tempo presente além de registrar uma história local incomum como tema de pesquisa, que poderá, com o passar dos anos, se perder no tempo e no espaço. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Especialização: (1) Doutorado: (1) . , Integrantes: Maria Cristina Pastore - Coordenador / Adriana Kivanski de Senna - Integrante.

  • 2010 - 2011

    O ensino de Artes Visuais na sociedade da informação e do conhecimento, Descrição: Este trabalho apresenta o relato de algumas atividades desenvolvidas pelas bolsistas do Pibid -Artes do Curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande - FURG, na escola Municipal de ensino fundamental Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente da Cidade do Rio Grande, CAIC, com o projeto intitulado ?O ensino de Artes Visuais na sociedade da informação e do conhecimento?. Propõe-se nesta troca de experiências, demonstrar como a metodologia denominada oficinas, realizadas durante o ano de 2010, contribuiu para o entendimento da temática patrimônio e arquitetura da cidade do Rio Grande-RS com os alunos de 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries do CAIC, possibilitando a motivação e o interesse do educando no assunto proposto. As experiências dos licenciandos do Pibid -Artes da FURG, uniram teoria e pratica, vivenciando a observação, a análise, a pesquisa, o registro das atividades e a avaliação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Maria Cristina Pastore - Integrante / Adriana klausen - Integrante / Janaina Porciuncula Faria - Integrante / Andressa Azevedo Vargas - Integrante / Susana Maria Garcia Aguiar - Integrante / Vivian Paulitsch - Coordenador / Carla Tavares - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 2

  • 2009 - 2011

    TEATRO DE FANTOCHES: DO IMAGINÁRIO INFANTIL A UMA PRÁTICA ARTÍSTICA, EDUCATIVA E INCLUSIVA, Descrição: Este relato de experiência apresenta as atividades desenvolvidas nas 37ª e 38ª Feira do Livro no Balneário do Cassino, na cidade do Rio grande-RS, nos anos 2010 e 2011, respectivamente, organizada pela FURG . Apresentando histórias dramatizadas com os fantoches, criadas e adaptadas para todas as idades, com enfoque no cotidiano, higiene, meio-ambiente e educação. Propõe-se investigar se em meio à tecnologia, presente em todos os setores, ainda e possível através de uma brincadeira milenar, provocar o interesse nas crianças e a construção do conhecimento com as historias contadas. Evidenciar como o teatro de fantoches pode estimular a imaginação, criatividade e percepção da criança, bem como, a valorização do processo criativo, educativo e inclusivo, legitimado pela apresentação do desenho. A participação especial de Luize Dorneles , portadora de necessidade especial (deficiência visual), que colaborou nos esquetes, e a partir disso, desconstruiu o possível paradigma pejorativo em relação às pessoas com necessidades especiais provando ser possível a participação, não só no teatro, como em outras áreas, estabelece o vinculo com a inclusão. Com a experiência adquirida nas feiras, o presente trabalho pretende instaurar-se nas séries iniciais da Escola Estadual de Ensino Fundamental Revocata Heloísa de Mello da cidade do Rio grande-RS, como forma de auxílio na apreensão de conteúdos já desenvolvidos pelos professores na própria escola, contemplando o trinômio teatro/professor/aluno, e a análise final dessa ação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Maria Cristina Pastore - Coordenador / Rosete Porto Oliveira - Integrante / Roberta Bastos - Integrante / Stefani Rafaela Pintos da Rocha - Integrante / Carla Imaraya Meyer de Felippe - Integrante / Luize Dorneles - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2010

sua poesia vai a feira, Furg.

2010

Destaque universitario MPU, Furg.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2018 - Atual

Prefeitura Municipal de Rio Grande

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 30

2014 - 2018

Cooperativa Nossa Senhora Medianeira

Vínculo: Cooperativado, Enquadramento Funcional: cooperativado, Carga horária: 25

2013 - 2015

Universidade Federal do Rio Grande

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Professora tutora, Carga horária: 20

Outras informações:
Curso de aperfeiçoamento em Educação Ambiental

2012 - 2012

Universidade Federal do Rio Grande

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 12

Outras informações:
Pesquisa a morte como possibilidade de ensino e utiliza o cemitério como suporte de explorar os saberes históricos desse ambiente;

2010 - 2011

Universidade Federal do Rio Grande

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Atividades

  • 04/2013

    Pesquisa e desenvolvimento , ICHI, .,Linhas de pesquisa

  • 03/2012 - 12/2012

    Pesquisa e desenvolvimento , ICHI/ ILA, .,Linhas de pesquisa